Venezuela denuncia “mais uma” violação do espaço aéreo por avião dos EUA


O Comando Estratégico Operacional das Forças Armadas Bolivarianas da Venezuela (CEOFANB) denunciou esta quinta-feira uma nova violação do espaço aéreo venezuelano por um “avião espião” dos Estados Unidos.
“Alerta. Mais uma vez, os EUA violam os tratados aeronáuticos internacionais ao entrar, com um avião espião RC135 da USAF na FIR (Região de Informação de Voo) controlada pela República Bolivariana da Venezuela, sem cumprir os protocolos e comprometendo a segurança das aeronaves que se encontravam no espaço aéreo”, denunciou o CEOFANB através da rede social Twitter.
A denúncia foi acompanhada por um diagrama com um mapa que precisa que a nova violação ocorreu quarta-feira, altura em que pelas 12h38 locais (17h08 em Lisboa), os radares venezuelanos detetaram a aeronave C-135V, dos EUA, na FIR de Curaçau.
“Pelas 13h15 locais (17h45 em Lisboa) a aeronave RC-135V dos EUA entrou na FIR de Maiquetía (Venezuela) e os serviços de trânsito aéreo tentaram comunicar com a aeronave, sem obter resposta efetiva. A aeronave continuou o seu voo dentro da FIR de Maiquetía”, explica.
Segundo o CEOFANB o avião norte-americano abandonou a FIR de Maiquetía pelas 16h48 locais (21h18 em Lisboa) “sem estabelecer nenhuma comunicação”.
Segundo as autoridades venezuelanas, 56 aeronaves norte-americanas violaram o espaço aéreo venezuelano desde o passado dia 1 de setembro.
A crise política, económica e social na Venezuela agravou em janeiro último, quando o presidente do parlamento, o opositor Juan Guaidó, jurou assumir as funções de presidente interino do país, até conseguir afastar Nicolás Maduro do poder, convocar um governo de transição e eleições livres e transparentes no país.

Publicar um comentário

0 Comentários