Crise na Lufthansa



Lufthansa precisará de ajuda financeira do governo para poder superar a crise.
O grupo Lufthansa afirmou no último dia 23 de abril que precisará de aporte bilionário do governo para que possa estar se mantendo durante a crise que se decorre por conta do coronavírus (Covid-19), que afeta não só o grupo, como companhias aéreas de todo o mndo, muitas já tendo inclusive declarado falência.



Hoje o grupo Lufthansa é composto por várias subsidiária, sendo as maiores a Swiss air, Austrian, Brussels Airlines e a Lufthansa, o aporte virá dos países que tem como cede as maiores empresas do grupo, ou seja, Alemanha, Áustria, Bélgica e Suíça. O grupo atualmente tem uma liquidez de aproximadamente US$4,8 Bilhões.
Sem saber quando voltaram com as operações novamente, o CEO do grupo, Carsten Spohr parece já ter certeza que receberá esse apoio dos governos de suas principais subsidiárias.

A Lufthansa é uma companhia aérea alemã que foi fundada em 1926 (Deutsche Luft Hansa A.G.) e posteriormente voltando com o atual nome em 6 de janeiro de 1953 e atualmente é uma das principais companhia do continente europeu e do mundo.



Para poder diminuir custos, o grupo já planeja um processo de reestruturação após a pandemia mundial do coronavírus, o grupo foi obrigado a desativar algumas rotas e encerrar as atividades de uma de suas subsidiárias, a Germanwings, ainda assim segue com perda de aproximadamente um milhão de euros por hora.

Publicar um comentário

0 Comentários