Salvação alemã?



A poderosa companhia aérea da Europa, a Lufthansa, luta para se manter de pé em meio a essa pandemia e afirmou hoje (04/05) que está quase concluindo negociação de auxílio financeiro com o governo alemão

"Temos discussões intensas e construtivas com o Governo alemão" e "em nossa opinião essas discussões podem ser concluídas num futuro próximo", "O apoio do Estado alemão seria um passo essencial para garantirmos nosso futuro" e fazer com que os aviões descolassem novamente, acrescentou a direção da companhia aérea em uma mensagem enviada aos funcionários.

Por uma ajuda de 10 milhões de euros o governo alemão pretende obter 25,1% do capital da empresa mas ter voz nas decisões da cia, por sua vez a direção administrativa da cia se recusa a ter interferência dos poderes governamentais dos países em que atua (Alemanha, Áustria, Suíça e Bélgica) na condução dos negócios.

No momento a Suíça pode fornecer 1,2 milhões de euros de empréstimos às subsidiárias suíças da Lufthansa (Swiss e Edelweiss). Na Austrália, o governo recebeu o pedido de 767 milhões da subsidiária Australian Airlines.

A Lufthansa realizará uma assembleia-geral na terça, por meios virtuais para debater todos os pontos deste acordo e definir o dilema, salvar a cia e perder parte do poder de voto, ou perder tudo para não ceder ao governo alemão.

Publicar um comentário

0 Comentários