Avião da Air Astana que aterrou de emergência em Beja, voou com os comandos invertidos


A investigação ao acidente com o avião da Air Astana que em Novembro de 2018 aterrou de emergência no aeroporto de Beja, depois de ter perdido o controlo após a descolagem em Alverca, concluiu que “o sistema de comando dos ailerons da aeronave foi incorretamente instalado durante a execução dos trabalhos de manutenção pesada”, o que afetou a controlabilidade da aeronave.

Os ailerons são uma parte móvel das asas que permite ao avião "virar" para a esquerda e para a direita. A forma errada como os cabos que os movimentam foram colocados durante as operações de manutenção nas oficinas de Alverca tornaram a aeronave incontrolável. Na prática, quando o piloto tentava "virar" para a direita, o avião voltava para a esquerda e vice-versa.

O relatório do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários (GPIAAF) refere, no entanto, outros factores que contribuíram para o acidente. Entre eles o “deficiente funcionamento do sistema da qualidade” das OGMA, falhas no sistema de supervisão da produção e “falta de equipas de manutenção devidamente geridas e organizadas por competências e especialidades, com o treino e experiência necessários”.



Publicar um comentário

0 Comentários